ALGARVE SEVENS: A FESTA DO RÂGUEBI NO ESTÁDIO ALGARVE

Federação quer desenvolver desporto na região

ALGARVE SEVENS: A FESTA DO RÂGUEBI NO ESTÁDIO ALGARVE PROMOVE MODALIDADE E ORGANIZAÇÃO APELA À PARTICICIPAÇÃO DO PÚBLICO

Esta sexta-feira e sábado (dias 20 e 21 de julho) vai fazer-se história no Estádio Algarve. Pela primeira vez desde a sua inauguração, em 2003, o Estádio vai receber um evento de râguebi – o Algarve Sevens, prova de qualificação europeia para o Mundial da modalidade, que decorre em 2013, na Rússia. Hoje de manhã, a prova foi apresentada no relvado principal, pelos responsáveis da Federação Portuguesa de Râguebi e os autarcas de Loulé e Faro.

Os muitos turistas que se encontram nesta altura do ano na região, as excelentes condições do recinto, a presença da seleção nacional, a emotividade que se prevê na disputa dos jogos, e a festa que se espera dentro e fora de campo são alguns dos ingredientes para que este espetáculo venha a ter uma forte adesão por parte do público.

Na componente desportiva, vai ser uma luta renhida para as cinco vagas em aberto para o Mundial 2013. Entre as 12 nações participantes – Portugal, Espanha, França, Geórgia, Escócia, Itália, Ucrânia, Holanda, Alemanha, Roménia, Bélgica e Lituânia – o diretor técnico da Seleção Portuguesa de Râguebi, Tomaz Morais, destaca desde logo a equipa dos “Lobos” como uma das favoritas ao apuramento. “São vice-campeões da Europa com um título conquistado há 15 dias, e têm já uma cultura de jogo de sevens, invejável até noutros países. Nos circuitos em que participamos, mundial e europeu, temos estado sempre a um bom nível. Sabemos que vamos disputar, ao ponto, com as melhores equipas que aqui estão”, explicou este responsável. Também a França, a Espanha ou a Escócia, esta última com forte tradição na modalidade, são apontadas como os grandes favoritos. Mas Tomaz Morais não exclui outsiders nesta prova, com destaque para a Geórgia, a Roménia ou a Ucrânia, a surpresa do circuito europeu deste ano.

Recorde-se que os cinco apurados no Algarve Sevens irão juntar-se às seleções da Inglaterra, País de Gales e Rússia (país organizador) como os representantes europeus no Mundial de 2013.

Mas se o râguebi ainda tem pouca tradição no nosso país, na vertente de sevens a seleção tem feito história com excelentes resultados, por isso Tomaz Morais acredita que essa será uma mais-valia para este evento. “Quisemos trazer este torneio para os portugueses verem uma seleção que tem ganho muito por todo o mundo. Era um antigo sonho acolhermos uma competição desta e termos a oportunidade de jogar em casa. Acho que este será um espetáculo que se adapta à altura que estamos a viver e áquilo que os portugueses precisam que é esquecer os problemas do dia-a-dia”, afirmou o antigo jogador.

Para o vice-presidente da Federação, Trigo Moraes, as expetativas quanto à presença de público passam por 5 mil espetadores em cada um dos dias da competição. Nesta festa de família, está prevista animação exterior, numa praça com insufláveis, e no interior animação, música e algumas surpresas.

Já os presidentes dos dois municípios responsáveis pelo Estádio Algarve, sublinham a importância turística, aliada à utilização do Estádio, que este evento encerra.

“Está-se a fazer história no Estádio Algarve, numa modalidade que não tendo a expressão no nosso país que tem noutros países, particularmente países que são emissores do turismo de qualidade que temos cá – Inglaterra, Escócia ou Alemanha, em que o râguebi tem uma importância muito grande”, frisou Seruca Emídio, presidente da Autarquia de Loulé.

Relativamente ao Estádio Algarve, o edil louletano sublinhou o facto de tratar-se de um “estádio nacional, aberto a todas as modalidades, sem custos praticamente nenhuns para os utilizadores”.

“Para nós é uma satisfação diversificar a utilização do Estádio, numa altura em que, apesar de ser época alta, é importante encontramos ocupações complementares do sol e da praia. A cultura e o desporto são importantes para os turistas que cá vêm”, disse Seruca Emídio.

Já o responsável farense, Macário Correia, disse ser “um prazer o Algarve, neste período de verão, ser um palco mediático para o país inteiro”. “Aqui na zona central temos o privilégio de termos os grandes acontecimentos a que o mundo assiste mas aqui é que acontecem”, salientou.

Recorde-se que os bilhetes para o Algarve Sevens têm um custo de 5 euros (diário) e 7,5 euros (dois dias).

Até ao dia 20 de julho, os bilhetes para o Algarve Sevens encontram-se à venda nos seguintes locais: Lisboa – Federação Portuguesa de Râguebi, entre as 15h00 e as 19h00 (Não há multibanco!); Loulé – Quinta do Lago, Quinta Shopping, Bar Cubo, das 10h00 às 02h00; Faro – Fórum Algarve, das 10h00 às 00h00; Albufeira – Algarve Shopping (Guia), das 10h00 às 00h00.

Nos dias 19 (das 14h00 às 19h00), 20 (das 15h00 às 21h00) e 21 (das 15h00 às 21h00) de julho os bilhetes poderão também ser adquiridos na bilheteira do Estádio Algarve

Reserva de bilhetes em  http://www.algarvesevens.com/BuyYourTickets

Rugby Clube de Loulé é exemplo para o resto do Algarve

Com 30 anos de existência, o Rugby Clube de Loulé tem sido o único dinamizador da modalidade na região. Mas os responsáveis federativos querem que esta situação se inverta e que a modalidade ganhe espaço no Algarve, sobretudo junto dos mais novos.

“O RCL tem feito um esforço enorme ao logo de toda a sua história mas o facto de estar isolado do resto das outras equipas e ter de viajar, no mínimo 200 kms, para jogar, impede o seu desenvolvimento e impede que a equipa esteja num patamar que já podia ter alcançado e que neste momento não consegue estar”, sublinhou o diretor técnico da Federação.

Assim, a grande aposta vai passar pela vertente sevens, até porque trata-se de um jogo de “mais fácil entendimento e com uma lógica muito simples” que, de acordo com Tomaz Morais, poderá ser muito cativante para os jovens algarvios e para os próprios pais que procuram ocupações para os filhos com valores fortes e, neste caso, as regras e o respeito fazem parte da modalidade.

Já o vice-presidente da Federação referiu ser necessário encontrar “massa crítica” na região e, nesses sentido, o Algarve Sevens poderá ser importante.

Neste momento os serviços federativos contam com um diretor de desenvolvimento regional, Faustino Pires, que tem feito um trabalho meritório junto das escolas. Até porque, em certas cidades algarvias, como Lagos, há um forte interesse dos jovens mas as respostas limitam-se ainda à cidade de Loulé.

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s