Presidente da Câmara Municipal de Faro, José Macário Correia – Esclarecimento

 

Da edilidade farense recebemos “os esclarecimentos do Presidente da Câmara Municipal de Faro, José Macário Correia, relativos às notícias tornadas públicas”, documento que transcrevemos:

“1. Em 2008, foi realizada uma inspeção ordinária ao Municipio de Tavira, nos dominios do urbanismo e das empreitadas relativas aos quatro anos anteriores.

2. No final da mesma, recolhi dos inspetores palavras globalmente positivas da apreciação feita aos processos analisados e ao funcionamento geral dessa Câmara Municipal.

3. Em 2009 tive conhecimento de que havia uma mudança de orientação, por ordens superiores, e que do relatório seria feita uma participação ao Ministério Público relativa a pequenos processos de obras particulares.

4. Em 2011, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé considerou totalmente improcedente a acusação, confirmou a legalidade dos atos praticados e recusou a perda de mandato requerida.

5. O Ministério Público recorreu para o Tribunal Administrativo Central, o qual voltou a considerar legais os atos em causa e confirmou totalmente a anterior decisão do referido Tribunal de Loulé.

6. O Ministério Público voltou a recorrer, tendo há dias o Supremo Tribunal Administrativo, proferido uma decisão contrária aos dois tribunais anteriores.

   Dessa decisão já se apresentou o competente recurso, perante a total contradição existente sobre os mesmos assuntos, em três tribunais diferentes.

7. Dos processos de obras particulares em causa, quatro foram apreciados individualmente pelo Tribunal de Loulé, considerando dois deles perfeitamente legais e outros dois não, sendo que o Municipio de Tavira disso recorreu face á contradição com a decisão tomada sobre esses mesmos casos em outro processo judicial.

8. Portanto, até ao momento, nenhum dos casos apontados no acordão do STA foi objeto de declaração de ilegalidade transitada em julgado.

9. Sendo assim, não parece normal que alguém possa ser condenado por atos de pequeno significado, os quais nem sequer foram considerados definitivamente ilegais.

10. Aguardando a clarificação das contradições referidas, continuo no normal desempenho das funções para que fui eleito, em total dedicação ás populações que jurei servir.”

José Macário Correia

1 Comentário

Filed under Uncategorized

One response to “Presidente da Câmara Municipal de Faro, José Macário Correia – Esclarecimento

  1. Maria Viegas

    Eu desconheço o que são “actos de pequeno significado”. Roubou um chupa no supermercado?! não pagou o estacionamento?! faltou sem justificação?! …. se o tribunal determina que alguém é afastado do serviço, esse alguém pode afirmar impunemente que “vai continuar no normal desempenho das funções”… e fazê-lo??!! … bem à portuguesa…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s