VRSA: Autarquia implementa taxa turística

Autarquia implementa taxa turística para manter competitividade das estruturas municipais

Consciente do papel do Complexo Desportivo de Vila Real de Santo António na captação de dormidas turísticas e do seu contributo para os excelentes níveis de ocupação hoteleira do concelho, a autarquia vila-realense investe anualmente cerca de três milhões de euros na manutenção das suas infraestruturas desportivas.

Estes níveis de investimento – suportados na íntegra pela autarquia de VRSA – têm proporcionado um constante crescimento quer no número de atletas que escolhem o destino, quer no número de estágios desportivos e eventos chave desenvolvidos. Disso são exemplo o Mundialito de Futebol, a Copa Foot 21 ou a Taça dos Clubes Campeões Europeus de Atletismo, estimando-se que, em média, cada utente do Complexo Desportivo pernoite uma semana em VRSA.

Além da aposta neste equipamento-chave, a autarquia tem, ao longo dos últimos sete anos, suportado, com verbas próprias, um programa de eventos constante e regular, o que tem contribuído para a fidelização de visitantes e para o combate da sazonalidade.

Foi tendo em conta a necessidade de partilhar responsabilidades ao nível da promoção turística e de encontrar soluções para o equilíbrio financeiro do equipamento que mais tem contribuído para a ocupação turística de VRSA, em especial na época baixa, que a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António decidiu instituir a Taxa Turística do Município.

Assim, a partir do final do Verão, todas as unidades de alojamento do município ficarão com a obrigatoriedade de faturar ao cliente um item adicional, isento de IVA, e designado como Taxa Turística de Vila Real de Santo António.

A contribuição terá o valor médio de um euro/dormida, mas isentará as crianças até aos 10 anos.

Atendendo a que o dinamismo da atividade turística é vital para a economia de VRSA e que a fixação da taxa turística não pretende, de forma alguma, reduzir o afluxo de turistas, a autarquia introduzirá no cálculo do valor final a cobrar um fator de incentivo que visa reduzir o seu valor, garantindo que o setor hoteleiro local se mantém competitivo face aos seus concorrentes.

Luís Gomes, edil de VRSA, explica os motivos da aplicação de mais uma taxa

Por esta razão, uma parte do valor cobrado destinar-se-á não só a financiar ações promocionais junto dos mercados tradicionais, mas também a contribuir para a prospeção de novos mercados internacionais.

«Durante muitos anos, a autarquia desenvolveu múltiplos esforços no sentido de captar visitantes e turistas, não onerando clientes, nem hoteleiros. Atendendo ao atual contexto económico, é altura de partilhar responsabilidades, implementado o pagamento de uma verba simbólica como, aliás, já acontece em múltiplas cidades europeias», nota o presidente da autarquia de VRSA Luís Gomes.

«Além de continuarmos a proporcionar uma política constante de eventos, fundamental para a captação de visitas – e de que é exemplo a programação deste Verão –, vamos conceder aos hoteleiros um período de adaptação, garantindo que as reservas já efetuadas não terão efeitos retroativos», conclui o autarca.

Com o objetivo de debater a proposta, a Câmara Municipal de VRSA irá colocar as medidas agora definidas em discussão pública, recolhendo contributos de todos os interessados.

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s